Depois da (não tão) ampla visualização e do (quase nulo) feedback do post anterior, eu decidi continuar a série de recomendações de trilhas sonoras, na minha missão de mostrar o que há de melhor em questão de trilha sonora.
Dessa vez, além de 4 outros jogos, eu trouxe um álbum de um anime que é um dos meus prferidos (perdendo somente para Gintama e Hajime no Ippo). Vamos lá:

*Nota: Clique na imagem de cada álbum para ouvir a música que eu considero a melhor.
1- Mawaru Penguindrum Character Song Album – HHH


Mawaru é um anime que apresentava um enredo interessante, misturado com um visual bem colorido, mas enquanto a trama avançava mais coisa é acrescentada e foi tanta coisa para ser explicada que ele teve um final aquém do esperado (não se enganem, ele é bom, mas poderia ter sido bem melhor). Mas uma coisa que vale a pena lembrar é a sua música, feita, em sua maioria, pelo trio fictício de J-Pop Triple H, formado por Himari, Hibari e Hikari (por isso o nome do grupo). O álbum é contém as músicas tocadas nos encerramentos dos episódios e que vão da emblemática “Rock Over Japan”, que toca toda vez que surge a frase “Estratégia de sobrevivência!”, até a meio western “Bad News”. A única exceção se dá pela música “Ikarechimatta ze!!”, que é bem irritante e que poderia ser trocada por uma versão especial de “Dear Future”, a música que toca no primeiro encerramento. Recomendado para quem quer se iniciar no mundo do pop japonês e que quer um bom exemplo desse estilo.
Duração: 42 minutos

 

2- Everyone Loves Katamari


We Love Katamari é um jogo de uma franquia que, além de ser uma das minhas favoritas, possui um dos visuais mais loucos dos jogos, com objetos modelados “blocudamente” misturados a uma paleta de cores absurdamente grande e drogas alucinógenas pesadas, visual este que esconde uma mecânica de jogo bem estratégica, aonde você tem que alcançar o tamanho determinado dentro do menor tempo possível (eu ainda vou fazer um review sobre ela). E para complementar tal visual colorido e feliz tem a trilha sonora, que, além de eu considerar a melhor de toda a série, possui um clima bonitinho e alegre, mas que sempre te dá uma vontade doida de dançar e cantar com músicas que misturam ritmos para dar a maior sensação de felicidade possível. Porém nem tudo são flores e até a melhor das trilhas tem aquela música que é um saco de ouvir, e esta música é a “Kurukuru Rock”, que nem é rock de verdade e é mais um monte de barulho junto. O resto é um remédio poderoso contra a tristeza, capaz de te deixar com um ar meio suspeito por aí, então é melhor ouvir sozinho ou com fones de ouvido para evitar a vergonha.

Duração: 80 minutos

3- Minecraft Volume Alpha


Minecraft é um jogo que se mostra grandioso quando você consegue driblar seu visual feio, mas prático e a sua falta de piedade com os jogadores novatos com o fenônemo devidamente nomeado de “primeira noite”, obrigando-os a recorrer a wikis do jogo. E a sua trilha sonora serve apenas para levar esse aspecto de grandiosidade ao pé da letra, com um ritmo bem calmo feito para te fazer se sentir pequeno diante do praticamente infinito terreno do jogo, dando uma sensação que é um misto de depressão e contemplação. Recomendado para quem quer um bom remédio contra insônia e para quem quer dar um novo sentido aos “momentos pôr do sol” da vida.
Duração: 60 minutos

 

4- Asura’s Wrath Original Soundtrack


Asura’s Wrath é um jogo tão japonês, que é o melhor anime que você vai jogar, com suas cenas de ação quase beirando ao ridículo como a famosa cena da dedada do Buda galático e da luta na lua ao som de música clássica que empala a Terra como consequência. Mas, isso também tem seus problemas, como a grande maioria do tempo de jogo ser de cutscenes e as partes realmente jogáveis se resumem a um quick-time event que às vezes serve apenas para contar pontos e não têm nenhum resultado influente no fluxo da partida. Então, para deixar as cenas mais atrativas, eles resolveram caprichar na trilha sonora, que usa da temática budista do jogo para criar músicas épicas, mas que ao mesmo tempo, possuem um clima mais etéreo a partir de gongos, guizos e tambores (apesar de ter uma música com clima de western e outra com guitarras, ambas dedicadas para os momentos de pancadaria). Destaque para a inusitada adição da música “Symphony No. 9 from ”The New World” 4th Movement” do tcheco Antonín Dvořák, cuja aparição se dá na já mencionada batalha na lua, que consegue dar o clima mesmo destoando do resto do álbum. Recomendado para quem gosta de algo mais oriental e diferente ao mesmo tempo (algo que é facilmente encontrado dado à tara dos japoneses, mas isso já é outro assunto).
Duração: 131 minutos

 

5- Mass Effect Original Soundtrack


Um dos maiores acontecimentos desse ano, até agora, foi a revolta em massa dos fãs com o final de Mass Effect 3, acusando a Bioware de propaganda enganosa, montando campanhas para mudar o final e mandando bolinhos para a sede em Vancouver (não tiro a razão deles, o final original é uma droga mesmo), que foi acalmada com o DLC Extended Cut, que dá um final digno à trilogia sem mudar a visão deles do final, algo bem ousado dado as circunstâncias do negócio. Então nada melhor do que reviver as suas memórias ouvindo a trilha sonora do primeiro ME, aonde a série ainda era meio desconhecida para o público, as balas eram infinitas, você podia transformar seus itens em gel para depois poder pular o hackeamento e os Reapers ainda eram um grande mistério. Mistério esse que acaba passando para a trilha sonora, aliado a uma batida futurista que lembra um pouco o estilo cyberpunk, dando ao jogo um ar de jogo de detetive (afinal tudo no jogo era meio que inédito e esperando que você a descobrisse. Destaque para a música “M4 Part II” que toca no créditos, que certamente é a única música da franquia que contém um vocal e uma guitarra frenética. Como eu disse, é boa para quem quer relembrar os melhores momentos do jogo, como a maldita decisão sobre quem deixar para morrer em Virmire.
Duração: 76 minutos

 

Então essas foram as cinco recomendações da vez, se você tem algo a falar sobre o post ou sobre o assunto abordado ou se você tem alguma recomendação a fazer, escreva aí nos comentários. Agora, vamos iniciar a estratégia de sobrevivência.