Eu tentei adiar a escrita desse artigo até onde eu pude, mas não dá mais. Pode parecer brega eu citar isso, porém como diz o meu pai: Tem gente que precisa mais ler isso do que comer.  E assim eu digo: Chega dessa encheção de saco por causa de finais!

Calma galera revoltada, eu vou explicar o meu ponto. Vocês já viram aquele filme Carros? Bom, para quem não viu, irei dar um breve resumo: Em um mundo que todos são carros, o herói da história, corredor famoso, aprende uma lição de humildade simples quando causa um dano enorme a uma cidade do interior e é obrigado a arrumar tudo. Entendeu?! Que bom, mas não é sobre essa parte do filme que eu quero destacar e sim o ambiente, no caso a cidade, que era muito próspera, recebendo vários visitantes, porém com a construção de uma via expressa lá perto, os carros resolveram abandonar a estrada que passava pela cidade e ir pela via expressa que era um atalho. O protagonista descobriu que a estrada abandonada que passava pela cidade era linda e assim ele aprendeu uma lição enorme que o caminho é MUITO mais importante que do a chegada.

Assim eu não consigo entender esse pessoal que quando o final não o agrada, ele diz que perdeu tempo consumindo aquilo ali. Tá certo que o final é importante, mas o final muitas vezes não é nem 1% da obra em si.

Vamos começar a dar exemplos. Lost, a maior vítima desse pensamento. Antes do último episódio era a maior sensação entre as séries, um dos assuntos de bar mais comentados. Depois do último episódio, se você falar que Lost é bom, vai receber pedrada dessas mesmas pessoas que adoraram a série até o penúltimo episódio. “Ah, mas o último episódio foi uma bosta, ele não foi do jeito que eu queria” alguns vão dizer e ai eu pergunto: Por que você assistiu até o último episódio? Provavelmente é porque você estava gostando não é?! Você teve seis temporadas para desistir, temporadas que você GOSTOU, porque caso contrário tinha parado. Tem gente ai falando que perdeu o seu tempo com isso. Vou dar um exemplo do quanto isso parece absurdo: Você ganha uma viagem para outro país e se diverte pra caramba no lugar que você sempre quis ir e quando volta, você pisa em uma merda de cachorro logo no desembarque na terra firme e sai por ai dizendo que aquilo estragou a sua viagem por inteiro. No caso de Lost, podemos mudar o exemplo para essa mesma viagem que você recebeu de uma pessoa misteriosa que prometeu revelar identidade dela quando você voltasse, mas quando você chega no aeroporto, não tem ninguém te esperando na volta, porém pelo menos para mim não importa, eu tive uma excelente viagem que vou lembrar para toda minha vida e esse mistério que eu fiquei pensando a viagem toda e que nunca vai ser relevado, é o de menos.


Outro exemplo: Trilogia Mass Effect. Jogos excelentes, personagens marcantes e universo incrível, mas nos últimos dez minutos de jogo, no último título da trilogia, a produtora escorrega feio. Acho que é normal não gostar daquele final, mas sair por ai falando que perdeu seu tempo jogando aquela trilogia até aquele momento, que foi um desperdício e recomendando para que ninguém jogue, já é demais. Voltando ao exemplo da viagem, é como se uma pessoa desconhecida tivesse dado a viagem, mas no decorrer dela você descobre a identidade da pessoa e quase tudo tenha se resolvido, mas diferente dos outros aspectos da viagem, no final a pessoa que te deu aquele presente não vai deixar você escolher em que avião você quer voltar. Realmente importa em que avião você vai voltar se você teve uma excelente viagem?

O final é colocado em um patamar tão importante que tem gente que vê um filme totalmente merda e fala bom porque nos 10 minutos finais eles conseguiram apresentar um bom desfecho.

Eu entendo que a ultima impressão que a gente fica de determinada obra são seus últimos momentos e que o final é uma das três partes fundamentais de uma obra, junto com o inicio e o desenvolvimento, porém acho que devemos considerar todo aquele tempo que fomos entretidos. Ignorar tudo de bom do desenvolvimento só por causa de um final que não agradou, para mim não faz sentido, pois o desenvolvimento que deveria ser o mais importante.

Para terminar eu gostaria de dizer algo importante que vai complementar tudo escrito nesse texto: Pau que nasce torto, nunca se endireita, menina que requebra, mãe não pega na cabeça.