Geralmente quando nos deparamos com um chick-lit, nos deparamos com uma protagonista mulher. Pelo menos das minhas leituras, os protagonistas homens estão na fantasia, aventura, romance histórico, mas O Projeto Rosie foi uma agradável surpresa, em todos os aspectos.

Don Tillman é um geneticista e professor universitário que tem problemas para se relacionar com outras pessoas, geralmente por não saber como agir com os protocolos sociais e ser extremamente metódico, o que faz dele uma pessoa previsível por sua rotina. Imagine ter um cronograma diário hiper detalhado e o menu de cada dia da semana anotado, que não inclui imprevistos, de jeito nenhum. E que seja capaz de criar um questionário meticuloso para encontrar a esposa ideal. Imaginou? Essa é apenas a primeira parte do desafio que enfrentamos com Don.

o-projeto-rosie-1.htmlEle tem a Síndrome de Asperger, o que justifica todas as suas atitudes e “trapalhadas” com as outras pessoas. Sua única amiga, por muitos anos, foi a sua irmã. Agora ele tem um casal de amigos, Gene e Cláudia, psicólogos que são casados e tem dois filhos. É com a ajuda deles que ele tenta encontrar uma companhia através do “Projeto Esposa”.

Como é de se esperar, as candidatas acabam fugindo do padrão buscado por Don e a gente acha que ele vai acabar desistindo, mas, na mais improvável das candidatas é que o romance caminha.

A leitura é deliciosa. Sabe aquele livro que você termina de ler a última página e já quer voltar para a primeira e ler tudo de novo em seguida? Esse é o caso de O Projeto Rosie. Não é o mesmo tipo de leitura de uma Marian Keyes, em que as protagonistas são dramáticas e vez por outra você encontra um “mimimi”. Don é muito racional e isso faz a particularidade da obra de Simsion, ele tem sentimentos, mas processa eles de uma forma diferente.

Vi muitas comparações com outro personagem muito conhecido da cultura pop: Sheldon Cooper, da série The Big Bang Theory. Realmente, eles não compreendem sarcasmo, tem dificuldades sociais e são muito inteligentes, mas ainda acho que por fazer parte de uma série cômica as estereotipias de Sheldon acabam tornando o personagem um pouco chato ao longo dos episódios. Não é que O Projeto Rosie seja desprovido de humor, ri em vários momentos, mas a forma como Don é apresentado e explorado ao longo do romance cria um vínculo empático maior. Mas, para resumir, não acho interessante compará-los por pertencerem a mídias diferentes, que tem propostas diferentes.Graeme_Simsion_290

E onde entra a tal da Rosie, que aparece no título? No processo do Projeto Esposa, Don acaba convidando Rosie para jantar, só que ela preenche todos os requisitos que ele definitivamente não quer numa esposa. Mas, um projeto comum aos dois acaba os aproximando e, bem, para saber o resto vocês precisam ler.

O Projeto Rosie é adorável, divertido, sensível e já está na minha lista de favoritos da vida. Leitura recomendada para todos, especialmente os que não apreciam romances românticos.