Uma adolescente atrapalhada. Um mascote falante. Poderes mágicos que devem ser usados para combater o mal. A fórmula de tantos “mahou magika”, ou animes/mangás de garotas mágicas, parece ter se concretizado em Sailor Moon. Não estou querendo dizer que foi o primeiro do gênero, mas com certeza o sucesso alcançado pela série de Naoku Takeushi trouxe um novo gás para o mesmo.

serena sailor moonA adolescente atrapalhada em questão é a Serena (na dublagem em português, seu nome originalmente é Usagi Tsukino), que tem 14 anos e está apaixonada por Andrew, um cara um pouco mais velho que está na faculdade e que trabalha na loja de jogos que ela frequenta. O mascote falante é a gata Luna, ela é a responsável por encontrar as guerreiras e a princesa da Lua, uma vez que o mal está retornando e pode acabar com o planeta. Os poderes mágicos são concedidos por Luna a cada sailor que aparece, cada uma carregando o nome de um planeta da Via Láctea.

 

sakura

“Ai ai ai Yukito!!!”

A primeira guerreira que aparece é Serena. Ela é a Sailor Moon, o que não é nenhuma surpresa por se tratar da protagonista da série. Aqui é o ponto que mais me irritou no anime. Graças ao hype em cima do lançamento do mangá de Sailor Moon no Brasil – porque sim, nunca antes na história desse país a gente teve alguma edição de Sailor Moon nas bancas – eu aproveitei para tirar o atraso e finalmente assistir o anime. É provável que, por não ter assistido na época que passava na TV aberta, meu sentimento com relação a Serena seja tão negativo. Digo isso por ser completamente apaixonada por Sakura Card Captor e não ter tanta bronca com a protagonista mesmo ela seguindo o arquétipo atrapalhada/ comilona/ apaixonada/ poderosa.

Talvez por tentar fugir o tempo todo de suas responsabilidades, tanto normais quanto mágicas, e por ser muito gasguita e viver resmungando e ser tão covarde quando precisa enfrentar suas missões é que eu tenha tanta raiva da Serena. Foram poucos os momentos em que eu não tive vontade de bater nela, de verdade. Por isso desconfio que se tivesse assistido quando era mais nova, como foi com Sakura, eu tivesse criado maior identificação com ela.

sailor moon vilãComo já disse, Serena é a primeira sailor que aparece e leva um tempo para que as outras passem a acompanha-la. Enquanto isso, ela, em companhia apenas de Luna, conhecem os seus inimigos, os integrantes do Reino das Trevas, que estão procurando pelo Cristal de Prata para reviver completamente o seu líder e então promover o caos no universo. Em alguns momentos a gente é levado a acreditar que Serena vai perder, mas eis que aparece um personagem misterioso, o Tuxedo Mask, que com sua bela rosa vermelha consegue salvar o dia. Desde o seu surgimento, o coração de Serena fica dividido entre Tuxedo e Andrew.

Aos poucos novas sailors compõe o grupo de Serena: Amy, a garota reclusa e super inteligente da escola da Serena, que é a Sailor Mercury; Rei, sacerdotisa do templo junto de seu avô (que é ótimo) e que estuda em um colégio particular para garotas, como Sailor Marte; Lita, a maior e mais forte do grupo, como Sailor Júpiter; e por fim, mas não menos importante já que era ídola da Serena, a Sailor Vênus, que na verdade se chama Mina e tem a companhia de outro mascote, o gato Ártemis.

Cada uma das garotas tem uma especialidade, mas até que o grupo se complete demora bastante. Quando isso acontece lhes é revelado o passado, a existência de um Reino da Lua e os motivos pelos quais elas estão na Terra combatendo o mal. Além disso, a identidade secreta de Tuxedo Mask é revelada, bem como mostra sua relação com toda essa guerra e por que ele sempre ajuda as meninas, especialmente Serena. Esse é, certamente, o ponto alto da primeira temporada de Sailor Moon e o que me motivou a continuar assistindo as demais temporadas.