DLCs são o novo mau do século dos videogames, já que as empresas acharam um jeito de cobrar mais dos jogadores por conteúdo que deveria estar dentro do jogo (em alguns casos esse conteúdo já está dentro do jogo, só precisa ser liberado). Às vezes o conteúdo não vale a grana investida, o que acabou por virar motivo de deboche de algumas empresas como a Bethesda e sua armadura de cavalo em Oblivion e a Valve com o seu anel de noivado de 100 dólares no Team Fortress 2. Beat Hazard ULTRA pode servir como um exemplo de que um grande conteúdo pode vir por um preço baixo.
Lançado no dia 16 de junho de 2011 pela Cold Beam Games como um DLC no Steam e como um jogo completo para o Playstation 3 e mais tarde para iOS (deixando os jogadores de Xbox chupando dedo com a versão normal do jogo), BHU é um mega pacote que além de trazer vários inimigos e chefes novos, também trás novas armas, um sistema reformulado de perks, modos multiplayer tanto local quanto online e o acesso à várias rádios do mundo.
Falando primeiro dos inimigos, foram incluídas desde novas armas como um raio que te atrai e outro que te repele, uma espécie de mina que quando te acerta te deixa sem atirar por alguns segundos (o que é mortal se estiver jogando em alguma dificuldade elevada). Também foram acrescentados alguns inimigos como um que, quando morre, libera um monte de mísseis perseguidores, um polvo que se torna invulnerável ao chegar perto de você, uma cobra que só pode ser atingida pelos lados e um conjunto de minas que vai se fechando ao seu redor. E nem preciso falar que quase todas as inclusões citadas podem ser aplicadas para os chefes.
Porém, para aliviar um pouco a barra do jogador, houve também um acréscimo no arsenal sendo que agora você tem acesso a três novas armas: um raio laser poderoso de curta duração, um escudo para se proteger dos inimigos e para refletir os projéteis inimigos e uma rajada de mísseis teleguiados. Também vale destacar a reformulação no sistema de habilidades sendo que agora para você poder usar algo, você tem que liberar a habilidade através de pontos conseguidos ao subir de ranking para então poder comprar e melhorar as habilidades, que devem ser escolhidas com cuidado porque há um número limitado de espaços para colocá-las.
Existem também as mudanças que estão lá tanto por obrigatoriedade quanto para dar uma vida extra ao jogo como o multiplayer tanto cooperativo quanto competitivo que pode ser local ou pela internet (desde que os dois jogadores tenham as mesmas músicas), o modo Boss Rush que coloca você contra hordas e mais hordas de chefes, a possibilidade de usar rádios da internet no jogo (algo que não foi muito explorado nos jogos musicais atuais) e a opção de aumentar (e diminuir) o feedback visual, podendo deixar a sua festa mais louca ainda.
Enfim, Beat Hazard ULTRA é um dos poucos DLcs que valem a pena serem comprados atualmente. Mas convenhamos: DLC bom é DLC grátis,não é?
Nota Final: 9.5