E aí, passageiros! Sejam bem vindos a bordo do Coletivo Cult! Percorrendo os mares do mundo cosplay, encontrei uma grande cosplayer e médica; quero que todos deem uma salva de palmas para nossa querida, sábia e cheia de glamour (hahuahauahua)… PAULA GENKAI!!!

Agora, vamos iniciar a entrevista com a Paula, que nos contará um pouco a respeito dela mesma, dos eventos que ela frequenta e um pouco de sua profissão!

1) Paula, conte para nós, como foi o seu primeiro contato com o mundo cosplay? O que você achou?

Meu primeiro contato foi em 1997, na Mangacon. Minha irmã e umas amigas dela faziam cosplay, e achei muito legal a ideia. Fiz o meu primeiro cosplay em 1998, na III Mangacon. Resolvi fazer a versão jovem da Mestra Genkai (Yu Yu Hakusho), personagem que adorava! Foi muito emocionante: afinal, estava homenageando minha personagem favorita… e numa época em que o hobby cosplay estava iniciando por aqui!


2) Você é uma grande prova que ser cosplayer não é coisa de criança, afinal você é formada e trabalha. O que você acha das pessoas que ainda têm esta ideia errada sobre cosplay?

Na verdade, cada um tem que ter o hobby que gosta: tem gente que gosta de miniaturas de avião, outros de carrinho de controle remoto; enfim, hobbies são variados. É o modo como você se diverte e esquece o stress (momentaneamente), além de fazer contatos sociais.

Algumas pessoas podem achar o hobby infantil, mas devem respeitar. Afinal, só cada pessoa sabe o que lhe diverte e alivia as tensões do dia a dia!


3) Qual é a parte mais complicada em construir um cosplay?

Fazer os acessórios. Saber que material usar, como fazer, tempo para fazer (já que meu trabalho me consome tempo e energia). Esse é um dos fatores pelos quais faço meus cosplays com muuuita antecedência (4 a 6 meses antes de um determinado evento) – é, justamente, para dar tempo de fazer tudo!

4) Você já passou por alguma situação como ter um cliente que te reconheceu, ou algo do tipo? Alguma situação engraçada?

Meus colegas de profissão não costumam frequentar os eventos, mas muitos sabem que faço cosplay (e a maioria acha bem legal). Tem algumas situações engraçadas que acontecem nos eventos: derrubar comida no cosplay (e sujar), confundirem o nome do personagem, te confundirem com outra pessoa, errar na hora de apresentar (acontece muito comigo, já que apresento no microfone, ao vivo!)…


5) Qual o principal empecilho em ser uma cosplayer quando você já é uma adulta responsável e outros encaram isso como coisa de criança? Tem algum conselho pra quem, como nós, gosta da arte do cosplay, mas se sente velho demais pra começar?

O meu principal empecilho é falta de tempo. Quando alguém critica, acabo não dando importância: cada um tem sua vida e seus gostos.

Cosplay não tem idade para começar ou terminar. Conheço muita gente que começou a fazer cosplay aos 40 anos, acompanhando os filhos ou os amigos. E acabam se divertindo muito (às vezes, até mais que os amigos ou filhos). A maturidade ajuda a encarar o cosplay cada vez mais como forma de diversão (e não se preocupar muito com o lado competitivo, em que os mais novos tanto se empenham).

Se você gosta de um personagem e quer fazê-lo, faça! Não tem idade ou tipo físico que te impeçam!


6) Quais cosplays você já fez?

Já fiz as seguintes personagens:

Mestra Genkai jovem- Yu Yu Hakusho

Dita- Chobits

Dr. Kamiya Minoru- Yu Yu Hakusho

Amy Winehouse

Rê Bordosa- Chiclete com Banana (do cartunista Angeli)

Lady Porta- Lugar nenhum (HQ baseada em livro do Neil Gaiman)

Cobweb- Tomorrow Stories (HQ de Alan Moore)

Barbarella- do filme “Barbarella – a rainha da galáxia”

Pamela- Tarot Cafe (HQ coreana)

Rita Lee

Joan Jett

Vanessa- King of Fighters

Amy Winehouse versão zumbi

 

7) Como você faz para conciliar trabalho e hobby?

Um hobby é uma atividade que desenvolvemos no tempo livre. Portanto, quando tenho tempo livre, faço cosplay. Se tenho pouco tempo livre, não faço. Cosplay é algo que faço por diversão, não é A prioridade na minha vida. Minha profissão é prioridade. Já deixei de ir a eventos por causa de plantões (não falto em plantão ou fico trocando por causa de evento).


8) O que você mais admira no cenário cosplay hoje em dia? E o que menos admira? O que você acha que precisa ser mudado?

O que mais admiro: A qualidade técnica dos cosplays tem melhorado muito nos últimos anos. Lembro que, quando iniciei no hobby, cosplay de armadura era só sonho… e, hoje em dia, fazem réplicas lindas de robôs e armaduras!

O que menos admiro: Brigas de ego e excesso de competitividade. A prioridade deixou de ser a diversão e passou a ser vaga para grandes concursos ou as premiações em dinheiro. Muita gente tem desistido de fazer apresentação de cosplay por causa disso.

O que deveria mudar: Valorizar os cosplayers novatos (tem muita gente nova que não tem o talento reconhecido), abrir diversos tipos de premiação num evento (para estimular os novos cosplayers). Ah, e valorizar o concurso em si (e não usar o concurso como seletiva para vaga disso ou daquilo).

 

9) Quais são as suas dicas, como médica, para os cosplayers? Tipo, quais os cuidados que eles devem ter na escolha, fabricação e apresentação ou exibição dos cosplays em eventos, se algo pode ser prejudicial… coisas do tipo.

Tem muuuuitas dicas! Vou apenas citar as principais:

– Nunca empreste lentes de contato! São tão pessoais quanto sua escova de dentes!

– Sempre lave as mãos ao manipular lentes de contato. Mãos sujas podem dar irritações ou infecções nos olhos.

– Preste atenção na validade e aspecto da maquiagem. Se a maquiagem estiver vencida, com odor ou cor alterados, não use! Pode indicar que o material esteja estragado ou contaminado.

– Ao fazer lixamento dos acessórios, pintar com spray, etc., use sempre máscara e óculos de proteção adequados ao tipo de material que esteja manipulando.

As dicas completas estão aqui:

http://www.cosplaybr.com.br/forum/viewtopic.php?f=5&t=12178


10) Gostaria de dizer alguma coisa as pessoas que vão ler está matéria?

Cosplay é um hobby delicioso, que te permite conhecer muita gente bacana! Com certeza, você terá muitas boas histórias para contar. Escolha o personagem e… divirta-se!!!

E assim, encerramos nossa entrevista com essa grande cosplayer e profissional da área da saúde, a Paula Genkai! Em breve teremos mais entrevistas com outros cosplayers, pessoas relacionadas a eventos de anime, entre outros. Fiquem ligados aqui no Coletivo Cult.


Aqui é Ookami, desejando paz, para, você!