Tirando a velha época da internet 56k, eu nunca fui um cara que guardou coisas do HD. Assim que tive oportunidade de ter uma conexão mais veloz eu assumí a seguinte frase: “a internet é meu HD, se eu precisar, eu baixo de novo!”. Mas mesmo assim sempre vinha um amigo e falava – “Mas Baha, e se você quiser reassistir aquele filme ou escutar aquelas músicas?”. Pergunta para qual a resposta era sempre a mesma: – “Dificilmente assisto alguma coisa duas vezes, salvas poucas exceções!” já que pouquíssimas obras têm qualidade (ou proporcionam diversão) suficiente pra me fazer revisitá-las.

Poisé, ano passado re-assistí Battlestar Galactica pela segunda vez.

Battlestar Galactica

 

“Aqui é o Comandante. Momentos atrás essa espaçonave recebeu notícias que um ataque Cylon contra nossos planetas está a caminho. Nós não sabemos o tamanho, disposição ou força do inimigo, mas todas as indicações apontam a um ataque em massa contra as defesas Coloniais. Almirante Nagala tomou comando pessoal da frota abordo da Battlestar Atlantia, assim que os quartéis generais da frota de Picon sucumbiram na primeira onda do ataque. “Como? Por quê?” não importam agora. O que importa é que a partir desse momento estamos em guerra. Vocês treinaram para isso. Vocês estão prontos para isso. Fiquem firmes nas suas obrigações, confiem nos seus companheiros tripulantes e assim todos nós superaremos a situação. Mais atualizações assim que as recebermos. Obrigado.”

– Comandante Adama (BSG, s01e01)

BSG conta a história da tripulação a bordo de uma espaçonave de guerra classe Battlestar (equivalente a um Couraçado) chamada Galactica. Como visto acima, a mesma se encontra em situação imediata de guerra contra os Cylons, uma horda de ciborgues com inteligência artificial criados por humanos e que, por fim, acabaram se rebelando. Baseada na série de mesmo nome, mas mais antiga (1978), ela aborda com profundidade diversos temas, mas ao meu ver o mais bem explorado está ao redor do simbolismo. Quem tiver olhos e ouvidos atentos poderá observar referências de peso às nossas estruturas mitológicas e religiosas vindas de atitudes, nomes ou dilemas de alguns personagens, assim como noções de destino, fé, ceticismo, ética, fidelidade… definitivamente um prato cheio pra quem gosta de prestar atenção às entrelinhas!

Mas se você só quer um seriado com muita ação, intriga e uma trama de qualidade, vai estar muito bem servido. Repleta de batalhas emocionantes, feitos heróicos, covardias tremendas, esperanças e desesperos profundos, Battlestar Galactica com certeza vai fazer você querer assistir um episódio depois do outro – e essa é a parte boa: o seriado está finalizado desde 2009. Então é só ir lá e baixar comprar os BluRay maravilhosos aceito de presente!!! Outra característica de peso é a atenção à contrução de cada personagem, com personalidades tão peculiares ao ponto de você quase conseguir prever suas atitudes e compreender seus dilemas. Ao invés de ficar com raiva de fulano por não ter feito diferente, como acontece na novela das 20, passamos a entendê-lo na sua forma de ver o mundo e agir nele. Percebemos as limitações da sua personalidade, os prazeres e as dores inerentes a ela. Um verdadeiro exercício de empatia.

Enfim, se eu não tiver conseguido vender o peixe de BSG ainda, fica a última tentativa: depois de StarTrek e StarWars, é uma das franquias de SciFi que mais faz sucesso atualmente, apesar de ser pouco conhecida nerds e hipsters com uma cajadada só. Por exemplo: se você ainda não sabe de onde é aquela mulher que faz parte das fantasias sexuais do Howard de The Big Bang Theory aí vai uma ajudinha:

Starbuck

Habemus Starbuck, uma das protagonistas da série! Agora vai lá assistir e depois venha comentar sobre como ela é linda, sobre como o Apolo é um gostoso ou como o Adama é o protagonista mais daora dos últimos milênios!!

“So say we all!!”