No dia 21 de maio, a Microsoft realizou uma conferência ao mesmo estilo da Sony para anunciar o novo Xbox, intitulado Xbox One. Porém, ao contrário do que aconteceu à empresa japonesa, o Xbox One foi amplamente criticado, tornando-se alvo de piadas na internet e causando uma debandada em massa de fãs que sentiram traídos para o PS4 e para o WiiU.

A caixa

xbox_one_2
O console, que mais parece um tocador de VHS de tão feio que é, tem duas entradas USB 3.0, uma saída e uma entrada HDMI com suporte a resolução 4K, uma porta de rede, terá suporte Wi-Fi e usará o driver de blu-ray em vez do de DVD (o que significa uma graninha a mais pra Sony, já que ela tem controle sobre as patentes do blu-ray). Por dentro ele comporta uma CPU de 64-bit de oito núcleos, memória de 8GB DDR3, das quais 2GB serão usados para a interface do console – uma versão do Windows 8 adaptada para o Xbox, permitindo a navegação tanto pelo controle, quanto pelo kinect-, e terá um HD de 500GB que não poderá ser trocado por um modelo com mais espaço.
O controle também sofreu mudanças, trocando o direcional horrível de uma peça só do controle anterior, por um direcional mais funcional; adicionando um compartimento de bateria recarregável por USB, abandonando também o uso de pilhas para funcionar; a função de tremor para os gatilhos; mudando a bola metálica do X do meio do controle para a parte de cima; e a troca dos botões de Start e Select pelos de Menu, que “suspende” o jogo para acessar menus específicos; e o de View, que permite trocar de um aplicativo para o outro rapidamente.
E o kinect foi atualizado para uma versão mais precisa, reconhecendo agora o corpo todo da pessoa, seus movimentos, seu batimento cardíaco e até a pressão exercida pelos músculos.
Apesar de ainda não ter sido anunciado, existem rumores de que o Xbox One virá em dois modelos: um a preço normal e outro com um preço reduzido, mas que virá junto com um plano de assinatura da live.

Os serviços (e os problemas)

Xbox-One-Skype-008
Pelo que foi apresentado na conferência, o Xbox One, pelo menos no sentido específico da palavra, deixou de ser um console para se tornar em uma central de entretenimento integrada com foco em… TV. O “Xone”, como é chamado para encurtar, foi desenvolvido com foco em dominar as salas de estar das pessoas, deixando a jogatina, que era o fator principal de seu antecessor de lado, e adicionando funções para facilitar a navegação pela televisão, permitindo trocar de canal pelo kinect, firmando acordos com gigantes do esporte e entretenimento como a NFL (a liga de futebol americano) para a criação de conteúdo exclusivo ao console e possivelmente adicionando achievements para quem cumprir determinada tarefa vendo TV. Isso é tão estranho quanto parece.
Se você acha que, contanto que eles mantenham os jogos, está tudo bem, saiba que a live continuará sendo paga, com o modelo de 60 dólares por 12 meses; será obrigatório o kinect para ligar o console, mesmo você podendo desligá-lo completamente para evitar invasões de privacidade; será necessário estar conectado à internet pelo menos uma vez a cada 24 horas para manter o videogame funcionando; a instalação de jogos no HD será obrigatória e, caso você queira instalá-lo em outro dispositivo, terá de pagar uma taxa ainda não especificada; ele não possuirá retrocompatibilidade, porque, de acordo com o chefe da divisão do Xbox, “se você for retrocompatível, você é mesmo retrógrado”; ele terá trava de região, impedindo que quem compre um console nos Estados Unidos ou no Brasil não possa importar um jogo da Europa ou do Japão; e, se ainda não achou o suficiente, ele terá uma taxa para jogos usados, na qual, para poder instalar um jogo usado ou emprestado, você terá que pagar o preço de um jogo completo (60 dólares) para ter acesso. Portanto, a menos que você divida sua conta com outras pessoas, você não poderá sequer mais emprestar um jogo ao seu amigo.
Além disso, os perfis da live do 360 poderão ser levados para o One, permitindo que conversem entre si sem problema algum e os desenvolvedores indies não poderão se auto-promover (lançar um jogo sem apoio de alguma empresa grande) na live, obrigando-os a se filiar a alguma empresa se quiserem ver o seu jogo no “Xone”. Porém, a Microsoft tem em mente a criação de um plano de ajuda aos desenvolvedores independentes. Se não entendeu, ela basicamente disse que os indies serão bem vindos, contanto que eles estejam filiados a alguma empresa e estejam de acordo com nossas imposições.

Os jogos

Xbox One quantum break
Na conferência, pouco foi revelado sobre jogos, dando mais ênfase ao aspecto do entretenimento da máquina. Mas, foi revelado que o Xone terá 15 exclusivos em seu lançamento, sendo que 8 desses serão franquias novas, o que não é lá grande coisa, diga-se de passagem, já que pelo menos metade deles será voltada para o kinect.
Dos exclusivos que sobraram, temos um novo Forza Motorsport, que foi anunciado com um trailer bonito de CG; o Ryse, o simulador de luta medieval da Crytek que também foi apresentado com um trailer fora da conferência; e Quantum Break, o novo jogo da Remedy (a mesma empresa do Max Payne e do Alan Wake) que promete “borrar os limites entre televisão e videogames”, que foi apresentado em um trailer morno que misturava cenas com atores reais e cenas em CG.
Teve também a aparição da EA, para anunciar a sua nova engine para jogos de esporte chamada Ignite e a produção de conteúdo exclusivo para o Xbox One nos jogos de esporte lançados para o dispositivo; e da Activision, que mostrou um trailer de seu mais novo Call of Duty, um vídeo mostrando as funcionalidades do novo motor gráfico da série e o anúncio de que você terá um cachorro de companheiro no jogo e de que ele sairá antes no Xone do que nas outras plataformas.

Conclusão

xbox one forza
Mesmo que você esteja esperando até a E3 para ver os tais 15 jogos, eu recomendaria que você não comprasse o console. Mesmo que algum desses jogos possa vir a capturar a sua atenção, as imposições e taxas impostas pela Microsoft para que a pessoa possa desfrutar completamente do console (já que alguns desses conteúdos serão bloqueados por região) superam toda e qualquer qualidade que o Xone possa vir a ter no futuro. Espere pela conferência da Sony na E3 ou pela aparição de mais jogos interessantes para o WiiU ou, em casos mais extremos, fique no PC mesmo e use o dinheiro para comprar o Xbox para melhor o computador.
Mas, se mesmo assim, você ainda estiver interessado no Xbox One, a única coisa que posso dizer é: Deal with it.