No último ano comecei a ir menos no cinema. Não por falta de tempo, mas por falta de vontade. Os filmes já não me chamavam atenção ao ponto de querer levantar meu traseiro fétido e me locomover ao cinema mais próximo. O pior é ver que os filmes que me fariam gastar meu dinheiro com o ingresso não estreiam nos cinemas de Santo André. Mas não importa quantas desculpas eu tenha, Os Vingadores foi um filme que não tinha como ficar sem ver.

As expectativas para o filme não tinham como ser maiores: o filme não era somente um dos primeiros grupos de heróis a se juntar no cinema, como também foi a primeira sequência de mais de um filme (4 no total). Os trailers e fotos só aguçavam esse sentimento que poderia acabar em tragédia e uma certa aposta em um certo podcast só deixava as coisas mais interessantes. Pois no dia 29 de Abril de 2012 eu fui aos cinemas assistir o filme acompanhado de amigos meus, leigos no mundo quadrinístico e nerd. Mas antes gostaria de fazer uma recapitulação sobre os cinco filmes anteriores. Tem alguns spoilers.

Em 2008 temos o primeiro filme da Marvel: Homem de Ferro. Além da grandiosa volta de Downey Jr. o filme marcou a memória de todos por ser o inicio de tudo o que viria a ser Vingadores. Temos não só a primeira aparição do Agente Coulson como também de Nick Fury ao fim dos créditos. Para muita gente ele é o melhor filme da Marvel até os Vingadores, mas devo dizer que na minha opinião ele empata com Thor na segunda posição. O filme tem suas cenas memoráveis, mas o final é muito corrido e o vilão não me convenceu.

Com O Incrível Hulk, também de 2008, acontece a mesma coisa: a maioria acha como o pior filme da Marvel enquanto eu coloco ele uma posição acima. Talvez eu não tenha dado todo o valor ao Downey Jr., mas nem mesmo ele pode fazer o segundo filme do Homem de Ferro ser bom. Em 2010, quando a sequência saiu, fui assistir (pasmem!) com minha mãe. Ela adorou o filme, assim como eu, mas creio que ela daria uma nota maior pra ele. O vilão conseguiu ser pior que o Monge de Ferro e a parte onde no primeiro filme foi contada a origem do herói temos agora só enrolação. Porém, teve duas coisas que gostei muito nesse filme e acho que faz dele indispensável para o universo Marvel cinematográfico: a “origem” do War Machine e a belíssima Scarlett Johansson como a Viúva Negra.

Mas vamos parar de falar sobre o playboy milionário e vamos falar sobre a depressiva história do Dr. Banner. O Incrível Hulk era pra ter sido uma continuação do filme de 2003 (aquele dos poodles gigantes), mas resolveram rebootar o personagem, o que foi uma ótima escolha já que o primeiro filme foi feito por outro estúdio. O filme é menos depressivo que o de 2003, mas ainda assim consegue trazer aquela atmosfera triste que o Bruce Banner tem. Esse filme se parece muito mais com Homem de Ferro 2 do que com os filmes de origem por que nos créditos iniciais é mostrado como Banner conseguiu a “habilidade” de se transformar em Hulk o que economiza muito tempo de filme. Toda a cena da perseguição e da luta na universidade são incríveis. Sem falar nas milhares de referências incluindo a aparição de Tony Stark ao final do filme.

Voltando a cronologia correta, em 2011 tivemos uma grande surpresa: Thor. Inicialmente eu estava com medo do filme ser uma galhofada e como eles iriam misturar magia e ciência, mas com o lançamento de cada trailer meu medo se transformou em expectativa. Mesmo assim Thor conseguiu me surpreender, talvez não tanto quanto X-men: First Class, mas o suficiente pra botar um sorriso no meu rosto. Entretanto ele sofreu do mesmo mal do Homem de Ferro e do Hulk: um final muito corrido. Um ponto tanto negativo quanto positivo do filme é que Thor se tornou a ponte para Vingadores, tivemos primeira aparição do Gavião Arqueiro e de diversos itens do universo Marvel, mas perdemos muito tempo de filme com isso. No fim, Thor ainda é um ótimo filme e o com a história mais interessante.

No mesmo ano tivemos o filme do Capitão América, ou somente O Primeiro Vingador em alguns países (spoiler?). O filme fica entre a ousadia e a “chapa branquisse”: colocaram o Steve Rogers na segunda guerra, mas sem nazistas. Mesmo assim o filme consegue se incrível. Capitão América se tornou meu personagem preferido do Universo Marvel dos Cinemas. Um homem franzino, mas virtuoso. Até mesmo o motivo do Caveira Vermelha ter ficado daquele jeito me convenceu (no momento, agora eu só aceito por fanboyzisse). E parece que a Marvel se curou de seus dois maiores males: temos referências incluídas na próprias história e não meras bijuterias para o filme e temos uma batalha final digna. Aliás, nada nesse filme é corrido! O artificio de colocar passagens de tempo durante o filme funcionou muito bem! O único problema é mostrar logo no inicio ele congelado e a cena no final que fica claro que era pra ser pós-créditos.

Vamos falar de Vingadores agora? Não! Vamos polemizar com minhas notas e o TOP filme da Marvel.

1. Capitão América: O Primeiro Vingador. Nota: 8,5
2/3. Homem de Ferro. Nota: 7,5
2/3. Thor. Nota: 7,5
4. O Incrivel Hulk. Nota: 7
5. Homem de Ferro 2. Nota:6

E então chegamos aqui. 2012. Ano do fim da trilogia Batman. Ano do filme do Hobbit. Ano de Prometheus. Mas Vingadores mesmo assim foi a estréia do ano. Alguns pensavam que o filme focaria no Tony Stark, outros no Steve Rogers, mas Joss Whedon conseguiu fazer uma coisa que os diretores dos filmes de X-men deveriam aprender: dividir o tempo de filme entre os personagens perfeitamente. O filme, por não precisar muito de mostrar origem, é ação do inicio ao fim com pausas que não são desgastantes. Ele se aprofunda um pouco em cada personagens, principalmente na Viúva Negra por não ter uma origem nos outros filmes.

Os efeitos são incríveis e o Hulk, que até então só era feito em CGs sem peso nenhum, agora passa melhor as expressões e mostra o quão pesado é. A batalha final é sensacional e tem um plano sequência maravilhoso,o melhor que já vi! Mas devo dizer que a empolgação se foi e comecei a ver problemas. O filme perdeu o drama. Todos os outros tinham seus dramas, mas nem a morte do Coulson me fez sentir algo. E o Loki… A atuação do Tom Hiddleston em algumas parte é sensacional, mas o Loki não é mais aquele personagem do Thor que eu adorei. Tony Stark chega a chama-lo de diva, e eu só posso concordar.

Por fim, Vingadores foi a maior estréia do Cinema desse ano, mas não é o melhor filme. Ele será lembrado muito mais por aspectos técnicos do que artísticos, muito mais estruturais do que de conteúdo.  O Universo Marvel nos cinemas, esse sim, será lembrado pela ousadia. Cada peça cumprindo seu papel. Vingadores é somente o ápice de tudo isso.

Vingadores, entretanto é o melhor filme da Marvel. Nota: 8,7

E agora que comece o novo ciclo até Vingadores 2!

Esse artigo é uma colaboração de Renan Aspira.