Meu pai é o tipo de pessoa que não sabe ouvir música para ele mesmo.

E depois que eu ensinei ele a baixar músicas da internet isso ficou bem pior. Ao contrário de mim, que tenho o bom senso de usar headphone, meu pai liga as caixinhas do computador para que eu e minha mãe apreciemos as mesmas músicas que ele. Ele tem um excelente gosto musical, mas ter de ouvir o que outra pessoa quer, me irrita.

Bom, nesta quarta (27/02) foi diferente.

Ele estava ouvindo Luciano Pavoroti, mas de repente ele trocou a música. E começou a ouvir isso:

Cara, eu mal posso dizer como fico feliz de ouvir essa música. Essa entrada é muito psicodélica. A introdução é muito épica *-*.

With a Little Help from My Friends cantada por Joe CockerJoe-Cocker

Essa música é uma composição de Paul MacCartney, e é cantada por Ringo no álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band  dos Beatles, lançado em 1967 (só eu não consigo dizer Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band sem cantar? XD). No entanto, a versão mais famosa da música é a cantada por Joe Cocker.

A música fala de amizade, como o próprio título já diz, mas no contexto histórico ela representa mais do que apenas isso. Era o fim dos anos 60, estamos falando do inicio da guerra do Vietnã, do movimento hippie, das ditaduras espalhadas pelo mundo, e das inúmeras manifestações que rodeavam o mundo. Época da liberação sexual ocasionada pela pílula anti-concepcional, das dorgas e de muito rock. Como mudar o mundo senão com a “ajudinha de um amigo” ? ou de vários amigos.

A canção é de 67 e esse vídeo que coloquei é de 69 do tão aclamado e inesquecível (até mesmo para mim que não estive lá) Festival Woodstock.

250px-Woodstock-poster-smlO Woodstock Music and Art Fair tinha por objetivo ser “Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música”, mas acabou sendo simplesmente o mais incrível festival de rock de todos os tempos. Quem nunca viu vale a pena procurar por documentários e vídeos do festival. Só não tente pensar como aquela geração que lutava tanto por paz e amor entre todas as pessoas, virou essa geração hipócrita, egoísta, homofóbica, machista, etc, dos nossos dias.

Bom, essa música me lembrou de outra coisa, a série The Wonder Years, exibida no Brasil com o nome de Anos Incríveis. Talvez quem tenha mais de 20 anos tenha se lembrado da série assim que ouviu a música.

Anos Incríveis era exibida na TV Cultura (tv estatal de São Paulo) quando eu era criança, e posteriormente cheguei a ver na Rede Bandeirantes. Eu era realmente criança quando a série passava, mas toda vez que ouço essa música eu lembro da abertura:

A série é contada sob a ótica de um dos personagens, Kevin Arnold, e começa  no inicio de sua adolescência e vai até o final dela, abrangendo as décadas de 60 e 70.

The_Wonder_Years_still_slide_1_MITMVC

A série acompanha os acontecimentos familiares de Kevin, sua amizade com Paul Pfeiffer e seu amor por Winnie Cooper. Mas nem tudo são flores, pois a série retrata bem as mudanças sociais e políticas desse período histórico e a família Arnold é um retrato disso, podendo traduzir assim os sentimentos de várias famílias que enfrentavam novas situações advindas com as mudanças sociais.

É realmente um seriado incrível e muito bom. Recomendo a todos.

Bom, para encerrar, essa música me fez gostar mais do meu pai, lembrar dos Beatles, lembrar do fim dos anos 60 e tudo o que ele tem de bom e mau, lembrar de Woodstock e de como eu gosto das música quase imortais que foram tocadas lá, de uma série que passava durante a minha infância, me fez também lembrar da minha infância, fora a puta emoção que a própria música por si só causa. Puta que pariu, é uma música incrível ou não?!

Esse artigo é uma colaboração de LivCat.