Pois bem, Bom dia/tarde/noite a todos. Farei hoje o review deste que é um de meus mangás favoritos, e que creio ser também de vários de vocês.

  Definitivamente um dos marcos do mundo dos mangás, todos já, no mínimo, ouviram falar dele. Hagane no Renkinjutsushi, abreviado no Japão para Hagaren, aqui conhecido pelo nome de Fullmetal Alchemist, ou, simplesmente, FMA, a obra-prima de nossa querida Hiromu Arakawa. (que, aliás, já acabou. estou esperando ansiosamente por seu próximo projeto)
  O.K., cá está: Fullmetal Alchemist o/.
  FMA é um Shounen de gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama e Fantasia. É escrito e desenhado por Arakawa HIROMU (荒川弘, em japonês), cujo nome é, na verdade, Arakawa HIROMI (荒川 弘美).  Pois bem.

Sinopse: “A humanidade só pode obter algo se outra coisa de mesmo valor for oferecida em troca. Esta é a primeira lei da alquimia, a Lei da Troca Equivalente. Naquela época nós realmente acreditávamos que está era a única verdade do mundo.” Em um Ritual alquêmico que acaba dando errado, Edward Elric perde sua perde seu braço e suas perna, enquanto de seu irmão, Alphonse, só sobrou a alma, presa em uma antiga armadura. Equipado de membros mecânicos conhecidos como automail, os irmãos buscam a única coisa que pode restaurar seus corpos………a Pedra Filosofal.

  O.k. primeiramente vamos definir alquimia. É uma “ciência” (uso as aspas pois ela não é de fato reconhecida como tal pela sociedade atual)que engloba Química, Física, Medicina, Filosofia, Metalurgia, Geometria e Misticismo. Seus objetivos eram:
– Transformar metais pobres em ouro.
– Obter o elixir da longa-vida, ou panacéia.
– Gerar uma vida humana artificial (conhecida por Homunculus, em latin: pequeno homem).


  Tanto o primeiro quanto o segundo poderiam ser alcançados com a obtenção da Pedra Filosofal. Para os homunculi, no entanto, nunca foi aceito um método de concepção único.
  A Hiromu cobre bem o segundo e o terceiro, deixando de lado o primeiro provavelmente pelo seu conceito ético, não é bom incentivar crianças a “produzir” ouro, mesmo que não lhes seja possível ‘-‘.


  Certo, feito isso vamos compreender a alquimia, de uma forma simplificada, é a química imbuída de propriedades mágicas. Enquanto temos o Scar degenerando as pessoas ou o Kimbley explodindo….bom, qualquer coisa, pode ser dito que eles estão usando alquimia. Por quê? O que eles estão fazendo? A resposta óbvia seria que eles simplesmente ativam diversas reações de nível molecular. Mesmo que essa não seja a concepção real de alquimia é algo próximo o suficiente para ser relacionado (em um trabalho de ficção como este). Agora, quando o Ed. simplesmente decide que ele quer fazer colunas, espinhos, ou mãos saírem do chão ele não pode mais chamar isso de alquimia, isso já é pura e simples “magia”.
  Mas, à exceção disso o conceito está relativamente bem explorado. Apesar de que, no anime (no qual eles decidiram simplesmente criar a própria estória ¬¬), o conceito da criação de homunculi se torna absolutamente ridículo, e eu não quero nem começar a falar da mulher que vira água ¬¬. Felizmente, para aqueles de vocês que se dizem incapazes de ler mangá (que eu consider heresia mas… -.-) Fullmetal Alchemist – Brotherhood, ao que me dizem, segue fielmente a obra, assim vocês não têm que aturar aquela palhaçada que eles fizeram com o primeiro anime.
  
  A estória que ela criou é ótima, o mundo, apesar de não estar completo, é extremamente interessante e as personagens são cativantes. Fala sério, quem não adora a Winry XD.
Hum, este post acabou ficando mais uma explicação de alquimia (bem pobre diga-se de passagem) do que um review de FMA, mas tudo bem, a série fala por si só e só tem uma coisa a dizer: Epic.
Pois bem, ficha técnica:

Título Original:  Hagane no Renkinjutsushi
Título em Inglês: Fullmetal Alchemist
Gênero: Shounen

Capítulos até o momento: 108
Status de publicação: Completo
Escritor(es): Hiromu ARAKAWA
Artista(s): Hiromu ARAKAWASerializado em: Shounen Gangan
Publicado por: Square Enix
Ano: 2001

  Ja mata ne  o/.