Alguns meses atrás, aconteceu o Super Br Jam, um evento que juntava vários desenvolvedores do cenário nacional de jogos independentes para produzir durante 10 dias e quem doasse uma quantia para uma instituição de caridade, receberia os jogos feitos durante o evento e mais alguns outros. O jogo que eu estava mais curioso para saber como ficaria, o Hu3 Attack, simplesmente sumiu do mapa, sendo que todas as imagens do desenvolvimento dele desapareceram do tumbrlr oficial do Super BR Jam. Mas qual seria o motivo disso? Seria porque os criadores do jogos desentenderam com a organização do evento ou eles queriam lançá-lo como um jogo mais trabalhado? Passou mil coisas pela minha cabeça e o google não respondia elas muito bem, até que finalmente encontrei a resposta: O conteúdo do game foi encarado por muitas pessoas como algo racista e xenofóbico.

A proposta de Hu3 Attack era fazer uma critica bem-humorada ao comportamento de brasileiros em partidas online, colocando o jogador na pele de estrangeiros tentando proteger a sua jogatina, ilustrando tudo isso por meio de esteriótipos. O que chamou a atenção foi o fato dos inimigos “brbrhuehuehue” serem todos negros e os heróis eram brancos de outros países, encarregados de banir os jogadores brasileiros de seus jogos. Mesmo os desenvolvedores terem alegado que pretendiam colocar inimigos de outras cores no jogo, a patrulha do politicamente correto não teve dó e fez bastante alarde até que os criadores desistiram de distribuir o game e ele caiu no limbo.

hue attack 3 Hu3 Attack

Imagens de um dos desenvolvedores comprova que o jogo teria inimigos de outras cores

Podemos tirar algumas lições desse ocorrido. A primeira é a falta de autoestima que o brasileiro tem. É normal ver brasileiros falando mal do próprio país e de seu povo, esquecendo que eles fazem parte do próprio grupo que eles criticam e descriminam. O pior é que muitos que criticam, colaboram para o problema. Toda essa realidade é transportada para jogos online, com brasileiros não querendo jogar com conterrâneos, como se por um momento eles alucinassem uma fantasia que não são desse país e colaborassem ainda mais na corrente de ódio que vai prejudicá-los.

Os gringos muitas vezes querem que a gente fale inglês até quando estamos tendo uma conversa intima entre amigos. Para que eles querem saber o que eu estou falando com um amigo? Quem não sabe inglês não pode jogar em um servidor internacional? As vezes eu imagino que alguns gringos pensam que a língua eles é universal e quem não sabe ela, está errado, algo totalmente egocentrista, que me envergonha em saber que pessoas do meu país apoiam essa ideia.

hue attack 2 Hu3 Attack

Hu3 Attack – Jogo parecia ser semelhante a Plants Vs Zombies

Sim, eu concordo que a desonestidade é um problema cultural nosso e por isso que ainda acho válida a critica que o pessoal da Kaipora Digital fez com o Hu3 Attack, até porque toda crítica não pode deixar de ser feita e cabe as pessoas analisarem, entretanto, aquilo também se trata de uma mensagem e se você se expressa de forma errada, não vai ser entendido.
Eu não acho que era o caso de cancelar a publicação do game. Não posso falar pelos negros, mas como brasileiro vejo aquilo com um olhar desconfortável, mas existe uma crítica ali, que apesar de eu não concordar totalmente, não acho que chega ao ponto de ser agressiva. A perseguição que algumas pessoas fizeram, dizendo inclusive que ele era sexista por ter uma personagem peituda, faz parecer que estão procurando problema onde não existe, ainda mais considerando que essa personagem só agride homens, algo que muitos grupos “esquecem” de notar.
Uma pena que Hu3 Attack nunca vá ver a luz do dia, pois apesar de passar uma mensagem cheia de esteriótipos e sujeita a má interpretação, me parecia ser um jogo divertido que não tinha intenção de passar uma mensagem séria, como muitos estavam exigindo dele.