Em uma Londres vitoriana, muitos estão ansiosos para a chegada de Alexander Grayson, um grande empreendedor americano. Grayson apresenta-se à alta sociedade da época com pompa e estilo dignos d’O Conde de Monte Cristo. Os dois personagens têm em comum um passado amaldiçoado e uma grande sede de retaliação para com os causadores deste sofrimento.

Entre os objetivos do empresário, está trazer a ciência moderna para a cidade, iluminando as noites londrinas. Conveniente para uma criatura da noite. A verdade escondida é que seus planos vão muito além. Conquistar e encantar o público são apenas um caminho para a vingança de Grayson, ou Drácula, contra os que o traíram e o amaldiçoaram com a imortalidade séculos atrás. Pelo que se pode perceber, os planos aqui são diferentes dos originais no romance, em que o Conde Drácula quer algo do tipo “dominar o mundo”.

A série da NBC, aparentemente, promete trazer de volta algo do “vampiro clássico”, vingativo, mas com certo grau de consciência ou culpa. Percebo isso quando ele fala a respeito da Mina Murray: “Transformá-la no que eu sou seria uma abominação”. Provavelmente ele não esperava encontrá-la em seu caminho.  Apesar da história de amor que pode surgir, acredito que não será este o foco principal da série.

Mesmo já com muitos fãs empolgados, há comentários de que esta seria a adaptação do romance gótico de Bram Stoker mais “fora da casinha” de todos os tempos, visto que, aparentemente, tem bem pouco a ver com a história original. Minha opinião é que, com o público atual, não daria tão certo se assim não fosse.

Esta produção britânico-americana foi anunciada em 2012 e nem passou pelo estágio de aprovação do piloto. A rede encomendou logo de cara uma temporada de 10 episódios que devem ir ao ar às sextas feiras, após Grimm, a partir do segundo semestre de 2013.

Dos produtores de Carnilvàle e Downton Abbey e do mesmo diretor de Dexter e The Tudors, acredito que “Drácula” será um sucesso.

O Ator

A respeito do ator escolhido para fazer o Drácula, Jonathan Rhys Meyers (The Tudors), ótima escolha. Já vi um blog falar que ele é baixo demais para o papel, mas “who cares?”. Algo que eu já tinha notado sobre ele é o seu olhar profundo e, em certo grau, triste, o que fica ótimo em um personagem tão carregado de história. Só queria que colocassem um pouco do Alucard, de Hellsing… Adoro aquele sorriso psicopata, como se dominasse o mundo, fosse invencível e soubesse que ninguém possui a mínima chance contra ele.

Plano de Fundo

Assim como no filme de 1992, a série usará a história de Vlad Tepes como plano de fundo.  Vlad Tepes, ou Vlad III, também é conhecido como Vlad Draculea, sendo esta uma referência ao seu pai, Vlad II, chamado de Vlad Dracul por ter se juntado à Ordem do Dragão. Ainda depois da morte recebeu o nome de Vlad III, o Empalador. Este último nome é um tipo de homenagem à maneira que Vlad costumava matar seus inimigos. Empalamento era uma prática muito difundida na época medieval na Transilvânia.

Vlad III foi um príncipe da Valáquia, uma província histórica da Romênia. Como cavaleiro cristão e governante da região por três vezes, foi grande defensor contra o expansionismo islâmico na época e ergueu vários mosteiros.

Após certo tempo, tornou-se conhecido pelas atrocidades que cometia contra seus inimigos e taxado como louco. Era respeitado e admirado por seu povo como guerreiro, por sua ferocidade contra os turcos e como um governante que não tolerava crimes.

Foi baseado nesses e outros fatos da vida de Vlad Tepes que Bram Stoker criou o romance tão aclamado. Drácula é o segundo personagem mais representado em livros, filmes, peças teatrais, etc., perdendo apenas para Sherlock Holmes.

Caso você se interesse, tem o filme da HBO, “Dark Prince: The True Story of Dracula”. Ainda não consegui assistir esse, mas trata-se, como o nome já diz, da “verdadeira” história do Drácula. Aborda aspectos reais e lendas a respeito da vida de Vlad Tepes.

Especulações

Visto que, na série, o plano do nosso herói/vilão, ou anti-herói, herói trágico, ou seja lá o que for, é se vingar dos que o traíram séculos atrás, acho que Drácula foi para Londres em busca de vingança contra a Ordem do Dragão. Ele era um cavaleiro que defendia os interesses da igreja, mas a mesma ordem à qual ele servia queimou viva a sua noiva, provavelmente acusada de bruxaria. Creio que Van Helsing também faz parte da ordem, ou o que restou dela…

Claro, se alguma das coisas que eu disse faz sentido, creio que haverá muito mais história além do que posso deduzir a princípio.

Personagens

A maior parte dos personagens importantes do romance de Stoker podem ser identificados na série, porém, alguns encontram-se em situações diferentes.

 

jonathan-rhys-meyersDrácula (Jonathan Rhys Meyers) – No livro, a princípio, ele é um nobre da Transilvânia que compra propriedades em Londres e pede para que Jonathan Harker vá ao seu castelo com a finalidade de ajudá-lo com os trâmites legais. Agora sua identidade é a de Alexander Grayson, empresário americano.

 

 

 

Renfield (Nonso Anozie, Game Of Thrones) – Originalmente, é basicamente um louco comedor de insetos e pássaros e se tornou assim por influência do Drácula. Nesta adaptação, Renfield será, como em várias outras adaptações, o servo e confidente do Conde, mas, a princípio, sem a parte da loucura.

 

 

 

 

Jonathan Harker (Oliver Jackson-Cohen) – Na série, aparentemente, o primeiro encontro entre ele e o Drácula acontece já em Londres e diferentemente do livro, onde é um advogado, aqui ele é um jornalista ansioso para escalar os degraus da aristocracia.

 

 

 

 

Mina Murray (Jessica De Gouw, Arrow) – É a noiva de Jonathan Harker e, como no romance, Drácula reconhece nela o que pode bem ser a reencarnação de sua amada.

 

 

 

 

 

Lucy Westenra (Katie McGrath, Merlin) – Uma nobre da sociedade de Londres, amiga de Mina. Originalmente é a primeira vítima do Drácula, assim que chega à Inglaterra.

 

 

 

 

 

Van Helsing (Thomas Kretschmann, Drácula 3D) – Caçador de Vampiros.

 

 

 

 

 

 

Final das Contas

Acho que a série será ótima. Os assuntos “vampiros, lobisomens e zumbis” já estão um pouco desgastados, mas, pessoalmente, sou super mega fã de histórias envolvendo seres e acontecimentos sobrenaturais. Acredito que os produtores não seriam tontos a ponto de focar no negócio de “humana se apaixona por ser sobrenatural”, visto que disso já estamos cheios. Gostei da fotografia, pelo menos do que se pode ver no trailer. Sendo uma série da NBC, espero que seja melhor que Grimm, que foi a última deles que me empolgou, mas acabou, pelo menos no início, me decepcionando um pouco. Enfim, ASSISTAM e tirem suas conclusões! Eu assistirei. o/

Esse artigo é uma colaboração de Karlo Tavares.