Ex-namorados do mal, problemas de moradia, rodovias subespaciais, combos de 64 hits… Esse é o universo criado pelo canadense Bryan Lee O’Malley, onde Scott Pilgrim vive sua vidinha de desempregado por opção aos seus vinte e poucos anos.

A vida sem graça de Pilgrim não resume a mais que ensaios com sua banda de rock até que começa a ter sonhos em que uma garota de patins sempre passar no meio deles. A misteriosa patinadora deixa Scott obcecado, e quando ele descobre que a garota existe de verdade, se apaixona instantaneamente!

Pouco tempo depois Scott descobre que a moça misteriosa, chamada Ramona Flowers, é na verdade uma entregadora da Amazon naquela região, e que quando ela passa pelos sonhos de Scott é porque está usando a rodovia subespacial que passa pelo meio da cabeça dele… (!?)

Não demora muito até que Scott consiga um encontro com Ramona, mas para que eles possam ficar juntos Scott deverá enfrentar a liga dos Sete Ex-namorados do mal, além dos seus próprios problemas com relacionamentos passados.

O melhor da história é como as conversas mais simples se tornam atrativas e chamam nossa atenção e que as coisas mais banais da vida podem dar boas histórias. Principalmente por que muito do universo de Scott Pilgrim é refletido em nossas vidas. O início da vida adulta, os problemas amorosos, as conversas com os amigos… tudo isso é representado de forma extrapolada nessa história, fazendo como o leitor em alguns momentos não saiba dizer se aquilo é só uma história de um garoto preguiçoso ou uma mistura de cultura pop com um humor descompromissado. É importante destacar que o traço de O’Malley não é um dos melhores, mas tem a capacidade de dar vida e expressão de forma incrível para aqueles personagens.

Scott Pilgrim não é uma história que dá lições de vida ou que até mesmo se preocupe em passar uma mensagem clara. Ela está mais para uma forma de entretenimento em quadrinhos, mas nem por isso deixa de ter seu valor. Pelo contrário. Por ser uma narrativa tão simples, apesar das bizarrices, é que acabamos nos envolvendo com a história e fazendo dela um bom lugar de descanso para as ideias.

No Brasil a história já está tendo muita repercussão principalmente pela espera do filme que sai em 15 de outubro. Enquanto a série em quadrinhos em terras tupiniquins será publicada em três volumes com dois capítulos cada, lá fora o sexto e último sai em 20 de julho com o nome de Scott Pilgrim’s Finest Hour. Por aqui só vamos ver a última história depois do filme, em 2011.

minha dica sobre Pilgrim: LEIA! vale a pena.

 

Este texto foi escrito pelo colaborador Paulo Arthur