Lindo. Incrível. Sensível. Arrebatador.

Poderia caçar todos os adjetivos do mundo para continuar nessa lista de elogios ao segundo volume da Coleção Graphic MSP.

A ideia para essa nova coleção veio depois do álbum MSP 50, que reuniu vários artistas para dar seu toque aos personagens do Maurício de Sousa. A partir do resultado que tiveram, resolveram convidar artistas para recriarem personagens em seus próprios estilos.

astronauta_capa

A primeira Graphic MSP foi Astronauta – Magnetar, feita pelo Danilo Beyruth (Bando de Dois). Esta do post de hoje foi roteirizada e desenhada pelos irmãos Vitor e Lu Cafaggi.

Vitor-e-Lu-Cafaggi-por-Paula-Markiewicz

Os irmãos Cafaggi ganharam uma grande fã

Como o prefácio do Maurício de Sousa já nos adianta, essa história tem um quê de filme dos anos 80.

Se você, caro tripulante, fica nostálgico quando ouve falar em Goonies e Conta Comigo, você tem a obrigação moral de ler esse quadrinho.

O plot é simples: Floquinho, o cachorro verde do Cebolinha, se perdeu e a turminha vai se juntar para procurá-lo. Lógico que nem tudo vai ser fácil e a busca se torna uma grande aventura. O final, apesar de previsível (quem teria coragem de fazer uma maldade com o Floquinho né gente?!), é emocionante e fofo.

a-graphic-novel-turma-da-monica-lacos-sera-lancada-em-maio-1365714052536_956x500

A chegada do Floquinho em casa

O traço dessa HQ é um caso a parte. Se eu pudesse, morderia todos (risos). Como pode existir crianças tão fofas assim? O cuidado em construir a caracterização deles com roupas de época, as personalidades mantidas e o zelo na colorização, fazem dessa história algo inesquecível.

lacoscapa-770x458

Como não apertar!?

Os laços, que aparecem no título, fazem parte de toda história, em vários sentidos diferentes. Mas o que mais me toca é que reacendeu a velha chama pela turminha que fez tanta parte da minha infância, reforçando os laços que fizemos alguns anos atrás.

Leitura obrigatória para quem gosta de quadrinhos, e, especialmente, da Turma da Mônica.

Ps: mais alguém quis chorar com a homenagem dos irmãos ao Maurício de Sousa, desenhando ele como o pai da Mônica?!

Leiam! Leiam! Leiam!