Quantos de vocês já ouviram falar de K-pop? Aposto que muitos. E quem já ouviu falar de K-pop antes de Gangnam Style explodir no Brasil, e no mundo? Pois então, K-pop existe desde os anos 90 e você mero mortal, fechado na ponte cultural EUA-Europa, não sabia disso ( e de muitas outras coisas também).

Bom eu não vim aqui hoje falar de K-pop, eu vim falar de B-pop.

Bali pop? Bangladesh pop? Brunei pop? (atenção são todos nomes de países).

Não meus queridos. Para vocês que ao ouvir B-pop esperarão pelo pior, bem… isso mesmo, o pior aconteceu. Pop Brasileiro!

Aí você pensa: “Mas já tem pop no Brasil, e eu odeio, e é um lixo, e só gente sem cultura curte, e blá blá blá blá blá blá”. (vcs são preconceituosos (-_-)”” )

Se o pop brasileiro é bom ou não cada um decida segundo sua própria consciência musical. Mas o que quero trazer para vocês é o B-pop. A diferença entre B-pop e pop Brasileiro? Simples, ele é o pop feito “a lá” K-pop.

Como pode?

Podendo. Para vocês, meus queridos, entenderem vale primeiro explicar o seguinte, como é feito pop no Brasil X como é feito pop na Coreia do Sul.

Pop no Brasil = pessoas com talento vocal e bonitas (mas nem tanto talento assim), encontram um produtor rico, lançam um disco, tem suas músicas tocadas na novela. Ficam famosos ou não.

vanessa-camargoNo Brasil tanta coisa é popular, incluindo a MPB (tumdum tiss), que fica difícil dizer o que é pop. Mas para termos uma ideia vamos dar exemplos de quem faz música pop Brasil: Vanessa Camargo, Kelly Key, Negra Li, (a Pitty também aparece na lista (°o°)) entre outras pessoas, que provavelmente ninguém lembra ou conhece. Esses exemplos citados fazem um tipo de pop que é mais difundido, que é a batidinha eletrônica-hiphop-rock-outroestilomusicalqualquer. Os outros cantores apontados como pop no Brasil recebem esse nome não pelo estilo, mas pela popularidade da sua música e também por que o jeito de fazer música dos brasileiros nem sempre é bem definido, vários cantores não se limitam ao estilo com que fizeram sucesso, eles exploram outros ritmos na busca por emplacar um sucesso na parada, e nisso misturam tanto, que não dá para definir precisamente que estilo musical eles tem. Se você analisar a fundo fica difícil classificar artistas de MPB, acho que é por isso que chama de MPB (né). O fato é que o mercado de música no Brasil é difícil, você pode batalhar por anos, mas se não tiver uma forcinha não consegue o tão almejado sucesso, e pior, sem nem mesmo ter reconhecimento, mesmo que você faça um excelente trabalho musical.

Pop na Coréia do Sul (por que nem sei se tem música na Coreia do Norte) = uma grande produtora faz uma audição. Se você for bonito, simpático, carismático, cantar, dançar, falar outra língua (se você fizer sucesso vai ser lançado na China e no Japão cantando em outra língua) e se destacar (tudo isso sem exceção) é selecionado para fazer parte do trainee da produtora. A partir daí eles vão treinar você até você seus pés sangrarem, e você odiar cantar, além de fazerem o que for preciso para que você fique lindo(a).

snsd-dancing-queen

Depois de um tempo fazendo isso eles vão formar um grupo, escolhendo os melhores trainees, a partir daí você vai treinar mais do que nunca para que seu grupo fique perfeito. Assim, só depois disso tudo, você vai fazer uma primeira  apresentação (debut) e lançar um single. Geralmente todos esses artistas também se tornam modelos, atores, e apresentadores, enfim, é uma produção massificada de ídolos multitalentosos, eles sempre irão fazer algo que você dirá “que pessoa graciosa, linda, gostosa e maravilhosa”. Em média esse processo de treinamento leva 2 anos, seja você cantor solo ou membro de boy ou girl band. Exemplos: BigBang, Super Junior, 2PM, Shinee (boybands), SNSD, 2NE1, B.E.G., 4Minute, AfterSchool, Secret, Miss A (girlbands), BOA, Son Dan Bi (cantoras solo ), Rain (o cara que fez o corredor japonês no filme do Speed Racer), Se7en, K.Will (cantores solo).

Ok. Isso é um breve resumo das duas realidades. Fazer música no Brasil sempre exigiu persistência, seja qual seu estilo musical, e na Coréia fazer música também envolve persistência, mas mais do que isso, perfeição e treino rigoroso. O resultado está nos clips e shows. Claro que muito dinheiro é essencial! XD

E o B-pop?

logomarca2Então, uma produtora Brasileira chamada Soundz Team, está fazendo pop no Brasil. A ideia é fazer um pop ao estilo K-pop e Americano (o berço de toda música pop). Para isso a Soundz realizou audições ano passado, e já está convocando os selecionados. No Facebook da produtora já podemos ver as fotos dos convocados. São todos jovens, na maioria mulheres (Madame Liv está prevendo girlbands “”O-o””).

Nesse momento se algum fã de rock estiver lendo isso vai estar querendo morrer de desgosto (nem ligo hahahahaha). Então agora eu vou dar uma motivo real para vocês morrerem. A Soundz já lançou sua primeira estrela. É uma menina, e o nome de guerra é Bia Boss.

01Bia é linda, bem estilosa, é a cara dos adolescentes de classe média. E depois de um tempo de hype, lançado fotos lindas da moça e promovendo sua página no facebook, a gravadora lançou um áudio da música de trabalho “Hey DJ”.

Aí eu ouvi… então né, como dizer? Eu pensei “nem tudo no k-pop é legal, muitas vezes é conjunto da obra (pessoa bonita + dança legal + musica legal + clipe glamoroso)”.

Depois de um tempo a gravadora lançou o clipe da música. Cerejinha no Bolo!

Vou por o clipe aqui e vocês vão ser os jurados.

Ok. É muito estranho ouvir uma música que alterna português e inglês. MUITO! K-pop faz isso o tempo todo, mas são duas línguas que eu não entendo, ou seja, menos impacto auditivo. Mas… tudo é questão de costume.

Não quero julgar o trabalho da moça, por que esse é o primeiro, e ela é um bom produto (como eu disse ela é bonita e o timbre de voz não é ruim), mas digamos que a produtora pecou. Na verdade lançar um produto precipitadamente, talvez sem treino suficiente, com péssima produção é mais do que pecar. Digamos que se eu fosse o dono da Soundz eu demitiria todo mundo que gastou dinheiro nesse clipe e nunca mais contrataria esse diretor, esse fotógrafo, e esse roteirista. Errou no cenário, errou na dança, and etc. Não sei se moça sabe dançar ou não, mas no clipe ela estava muito mecânica, coisa de quem ensaiou pouco.  Pop é animação e ela não passou nenhuma energia no vídeo, ou foi mal dirigida (?), o que confirma que a gravadora está imatura. É como eu costumo dizer: “num gosti”.

E tem uma coisa na música, uma coisa que o Will DL sempre me fala. Ele, que odeia música brasileira, diz que a mixagem musical brasileira privilegia a voz, então o som da voz está sempre mais alta que música de fundo, e ele odeia. Nessa música dá para perceber bem isso, o som da voz da Bia é bem mais alto que a música, tentam destacar a voz dela. Mas isso destoa, por que se o padrão é seguir o pop internacional, então a mixagem deve ser feita com o mesmo equilíbrio entre voz e música de fundo.

E o dinheiro?

A gravadora está fazendo uma pré-venda do primeiro Mini-album da Bia Boss pelo site. Segundo eles serão apenas 2000 CDs, pela bagatela de R$ 29,90 + frete cada. Lembrando que, um mini-album não é como um álbum normal, em geral ele vem com no máximo 5 músicas. And também tem camiseta + mini-album por R$ 60,00. Só para vocês terem uma ideia, eu consigo comprar um álbum importado original com pôster de um grupo de K-pop famoso por R$ 80,00.

O site também está oferecendo apenas a música, você compra o single e eles enviam para o seu e-mail por R$ 1,99. Aí tudo bem, acho que até vale a pena. Afinal, ninguém deve trabalhar de graça.

Acho que a Soundz já deve estar lucrando, afinal, o video já tem quase 34mil acessos até agora, e a Srta. Boss já tem até página de fã clube no face.

E essa é nossa primeira produtora de B-pop, e esse é seu primeiro produto. Agora vamos lá população, só é pop se vocês, os populares, gostarem. O que me dizem??? Deixem seus comentários que eu quero saber.

Esse artigo é uma colaboração de LivCat.

  • http://twitter.com/MyBaroOppa @MyBaroOppa

    Eu acho que se for depender de Bia Boss, o B-pop já flopou, mas talvez eu esteja errada, afinal, estou julgando o pouco que vi sobre ela, pois ela estreou recentemente e esse é o primeiro projeto de B-pop. Mas se a Soundz aprender com seus "erros" e melhorar, nada que uma boa divulgação não popularize. E também apareceram mais duas empresas com a mesma proposta… bem, uma dizem que não é confiável e a outra que apareceu esses dias ainda não se sabe muito sobre ela, mas se tudo der certo, se vierem com boas musicas, boas coreografias, o pop tem várias chances de se popularizar aqui e fora do país, como aconteceu com Rouge, foi um estouro na época, mas acabou por motivos de contrato.

    • http://www.facebook.com/LivCatKN LivCat KuroNeko

      Não estava sabendo de outras produtoras, vc sabe o nome?
      (quero investigar O-O)
      Sobre a Bia, eu tava conversando aqui com meu colega, eu acho ela um produto muito bom, mas ta na cara q tao usando ela de beta tester, e isso só vai queimar uma possível carreira pra la =/

  • http://www.facebook.com/artur.antunesmartins Artur Antunes Martins

    De forma geral eu achei o texto bem explicativo, mas não concordo com sua opinião sobre o b-pop. Claro que é baixo custo, pois ninguém vai gastar rios de dinheiro em algo que não se sabe se vai dar certo. Sobre a voz estar mais alta que a melodia, eu concordo que isso é uma merda, mas eles querem fazer algo que as pessoas daqui gostem também e como isso é um padrão, comercialmente eu não achei ruim. Sobre o material ser mais caro do que dos de k-pop, é lógico que é, pois o custo de produção de um material k-pop é alto, mas eles tem ganho em escala alta também, isto é, muita gente comprando e o custo de produção é mais dividido. Esse negocio de escolher artistas talentosos e treiná-los é algo que o mercado brasileiro não acredita, porque nunca deu certo. Não está ai o Rouge e o Broz para provar o contrário. Provavelmente porque não fizeram direito, mas mesmo que faça, quem garante que o publico em geral, alvo do pop, vai gostar?

  • taynara

    eu sonho em ser camtora mais n tenho oportunidade